Por que as pessoas arrancam os próprios cabelos?

Resultado de imagem para arrancam os próprios cabelos

Por que as pessoas arrancam os próprios cabelos?

A tricotilomania é um transtorno de controle de impulsos, que tem como fato fundamental a ser repetidamente o próprio cabelo, podendo vir a causar uma perda notável.
No passado, a tricotilomania é visto como a manifestação de um complexo desejo de causar dano a si mesmo: quem rasgou o cabelo o fazia para impor-se, inconscientemente, um castigo. Mas hoje em dia todos os especialistas em saúde mental coincidem (e as pessoas que sofrem de tricotilomania) que não sente nenhum tipo de dor ao fazê-lo. Muito ao contrário, o que sentem é prazer, gratificação alívio.

A tricotilomania parece ser mais comum em mulheres do que em homens. Pode estar associada a outros transtornos como o transtorno obsessivo compulsivo, o transtorno de personalidade da depressão, mas o mais comum costuma ser que se apresente sozinho.

Imagem relacionada

As sensações de prazer, de alívio, de que falávamos no início são fundamentais na hora de diagnosticar esse problema e a resolver esta causa de alopecia. Se não estão presentes, tecnicamente, não se trata de uma tricotilomania, apesar de alguns especialistas que colocam em dúvida que isso seja assim. Para eles, o simples fato de arrancar o cabelo da cabeça, as sobrancelhas, barba de outras partes do corpo, já que deve chamar a tricotilomania.

Por que acontece?
O desenvolvimento desta patologia é geralmente relacionar com épocas de stress, fatos traumáticos (perda de uma pessoa próxima, roubo, ser vítima de violência…) o medo do abandono. O abuso de substâncias poderia potenciar o desenvolvimento do transtorno.

Os fatores depressivos também costumam citar como fatores predisponentes. Não se pode dizer que as pessoas que sofrem de tricotilomania compartilham um traço específico da personalidade: os depressivos, ansiosos, extrovertidos, introvertidos, impulsivos… ou seja, parece que não há um padrão claro de que as causas que o originam, nem dos fatores de personalidade que mantêm o problema.

Em quais partes do corpo afeta?
Embora todas as áreas do corpo onde haja cabelo podem ser afetadas, o mais habitual é que o couro cabeludo seja a área mais atingida. Sobrancelhas, cílios, barba também costumam ser comuns, enquanto que arrancar o cabelo do peito, antebraços da zona púbica ocorre em número de casos muito menor.

Imagem relacionada

As pessoas que sofrem de tricotilomania costumam arrancar o cabelo de coalho, embora também se pode observar cabelos quebrados devido à falta de conhecimentos. O iniciado não costuma ser doloroso, embora a área afetada pode ser danificada por causa das unhas, podendo vir a prejudicar a área, produzindo uma cicatriz. Algumas pessoas comem o cabelo que têm cerceado, um ato que se denomina tricofagia. Este transtorno agravaria a situação, já que pode chegar a produzir obstruções intestinais.

Como se trata?
O tratamento da tricotilomania é variado. Em uma primeira fase, é importante eliminar a causa e, para isso, são utilizados medicamentos como antidepressivos, ansiolíticos, para acabar com este problema. Mas o mais comum é o tratamento psicológico, do ponto de vista cognitivo-comportamental.

Para ele, o fundamental é que o paciente esteja ciente de quando se arranca o cabelo, já que muitas vezes este comportamento ocorre de forma quase involuntária. Também é importante que você identifique situações de risco, por exemplo, quando estiver a ver televisão, quando fala, por telefone, e que faça condutas incompatíveis com o inicializado. Aprender a relaxar também é fundamental no tratamento deste problema

Em uma segunda fase, é importante ter em conta que o cabelo tem aproximadamente cerca de 25 ciclos. Ao arrancar o cabelo reduzem-se as possibilidades de repovoamento.

Por isso é conveniente utilizar hairloss blocker que contém todos os nutrientes que o cabelo precisa para seu nascimento e crescimento, garantindo uma dieta completa em seu defeito, recomendando suplementos alimentares para isso.

spacer

Leave a reply